segunda-feira, dezembro 09, 2013

Cais














Belo horizonte belo
Ao alcance da vista
Não se pode ver

Entre aqui e o mar de montanhas
Ergue-se o que fizeram com a tua riqueza:
Recifes de concreto
Cardumes perdidos 
Ondas de solidão

Grande litoral erguido
Por desejos tão antigos e humanos
Onde fica o seu cais?

nov, 2013
(Belo Horizonte)

sábado, setembro 28, 2013

Compasso


Me dá teu braço
Vem comigo e vamos embora
Partir é só um passo
Vem comigo e vem agora

Ontem já conhece a estrada
Eu nunca sei onde vou
Amanhã um dia acaba
Te guardo no que sou

set, 2013










Coisas Supimpas




















Amigos são
Pássaros também
e a Primavera? 
Flores!
Abraço, beijo roubado, bons dias
Cheirinho de café
Caminhar lado-a-lado
De braço dado
Conversar
Um coração saudoso
Sangue quente
Alegres reencontros
E tem a música
Ah a música...
As vezes eu sonho te (en)cantar.


setembro, 2103

segunda-feira, setembro 16, 2013

sábado, setembro 07, 2013

Fogo-fátuo

Que fogo é esse 
ardendo no peito?
Guerra ou fim de mundo 
Espreita a vontade de viver?

Dizem por aí 
É o medo
Sem palavras

Indecifrável

Um dia já foi amor.


set, 2013

quarta-feira, setembro 04, 2013

Sem Título

 
O medo não cria nem mata
Cala as dúvidas e perdura a rigidez
Ama as grades

Medo
É antônimo de liberdade.
 

set, 2013


sábado, agosto 17, 2013

sexta-feira, agosto 16, 2013

Minha Lisbon Revisited V


Desculpe-me
Sinceramente o mundo
Se esbarrei em ti
Não foi de propósito

A propósito disso
Me perdi dos motivos
Em Almada

Jul 2013
























quinta-feira, agosto 15, 2013

Minha Lisbon Revisitada IV

Venha cá Fernando
Deixemos a filosofia de lado
E vamos falar das pessoas

Querem tanto conhecer
A si mesmas
Os outros
Os outros lugares
Algures

Quem 
Afinal de contas 
Conhece?


jul, 2013
(Lisboa)



Reflexo do Ouro

Pensar demais
Não criou a beleza da ponte Dom Luiz
Refletida no Douro
Nem o céu emoldurando tudo
Foi a ferrugem

E a perfeição vive a chutar 
Os culhões do mundo.


Ago, 2013
(Porto)



A Margem do Ouro

Partir ou ficar
Compartir ou partilhar

Teus desejos
Revelam.

Agosto, 2013
(Porto)


Minha Lisbon Revisited III


Primaveras e beligerâncias
À sombra do velho caramanchão

Nunca estive aqui tão jovem antes
O céu azul é o mesmo
Outras nuvens cor de camurça
Neste coração maduro
Ainda vive a mesma criança

jul, 2013
(Lisboa)

Minha Lisbon Revisited

Lisboa é boa
Para mim
É a melhor de todas
E nem é isso que importa
Mesmo que lhe queiram derrubar
Lisboa é
Simplesmente
Boa.


Julho,2013
(Lisboa)


Minha Lisbon Revisited II

Eu também não quero nada
Compreender me basta

E agora já sei
Porque me afeiçôo aos asnos:
Quando me puxam:
Empaco

Jul, 2013
(Lisboa)

O Mal das Flores























Preciso urgentemente
Me tornar artista
Tanta beleza
Intoxica

Jul, 2013
(Paris)

sexta-feira, julho 19, 2013

Escrita

Escrevo não-poesia
repleta do que é esperado
para ser

Nem toda beleza que eu encontro
na confusão das asas
ou na fronteira luz-escuridão
fica aprisionada

Deixo que vá
Pois está

jul, 2013

quarta-feira, junho 26, 2013

segunda-feira, junho 24, 2013

Ovo



Na beira do coração é o mar

Além da beira é precipício

Ave que não sabe voar

Fica no inverso do início.

jun, 2013

domingo, junho 02, 2013

domingo, maio 26, 2013

Meibi per repeningues

Talvez, talvez, talvez
Tudo é possibilidade

e tem dias nublados
que eu acordo assim
eu acordo virado
do lado certo do errado

mai, 2013

sábado, abril 06, 2013

Doce de Orelha

Sussurra um doce na minha orelha
E eu te digo uma palavra gostosa

Vermelho
Teu rosto
Sorriso 
Teus lábios

A felicidade, meu amor 
É simples feito goiaba
Pelada e aberta
Imersa em tanta doçura.

abr, 2013