segunda-feira, janeiro 17, 2011

Alvorada

foto: Geraldo Soares

Acordei-me beijando a minha face
Como se eu fosse um outro
Abracei-me de dentro pra fora
Sem fome exceto aquela ânsia no peito


O tempo errante voava
Como ando
rinhas anunciando o fim do dia 
Mas ainda não era tarde - era quase anoitecer
Apesar da hora, havia um nascente naquele despertar

Tenho observado o caminho das horas
Que continuam a passar pelos céus como bandos
Negras, brancas, velozes...

O amanhã será entoado pelos galos
Breve como os gerânios enfileirados no jardim

Mas eu não me importo
Enquanto minha alma amanhecer.

Janeiro/2011

domingo, janeiro 09, 2011

Duas Quadras Pro Meu Bem Querer


O veludo da manhã
Cor de laranja azulado
Tinge a minha memória sã
De um amanhecer aveludado

Sonho, devaneio, loucura
Marés infinitas de desejo
Adoçadas pela doçura
Da esperança do teu beijo.

Jan, 2011

quinta-feira, janeiro 06, 2011

Poema Natural IV


Tem horas que olho pela janela
E invejo o vento...


Não é solitário

Nem coletivo
Circunda obstáculos

Faz, das curvas, retidão
Não tem lembranças 

Mas nunca esquece o caminho

jan, 2011