sábado, novembro 19, 2011

sexta-feira, novembro 11, 2011

Novembro

Há sempre um fim no princípio do mundo
E tudo que dura é ilusão

Antes era o vento virando vendaval
Depois a chuva, o rio, a cachoeira, um oceano
Água doce, água salobra, deserto de sal
E as lembranças são os fósseis 
Daquilo que não permitimos passar

Me deixa ir, vá embora
Me deixa mudar.

nov, 2011



sábado, outubro 22, 2011

Passagem

foto: geraldo soares

O dom de partir gravado
Nesta passagem pelo mundo

Tudo passado
Memória
Toda lembrança
Paisagem

out, 2011

quinta-feira, outubro 06, 2011

segunda-feira, setembro 19, 2011

domingo, setembro 18, 2011

Ponto e nó

"sobrou só esse nó no peito, agora o que faço?" C.F. Abreu


Cada nó como tudo
Se desfaz um dia 
Numa noite 
Quando menos se espera
Sempre há um outro depois
As vezes nó
As vezes um ponto só.

set, 2011





quarta-feira, agosto 03, 2011

Alma Lusa

Portugal está em mim
É uma terra pequena
De olhos voltados pro mar
É como o meu coração
Um lugar onde o tempo parou
E, no entanto, seguiu...

agosto, 2011

segunda-feira, julho 18, 2011

sábado, julho 02, 2011

Coração Poente


foto: Geraldo Soares
O mar não é infinito
Suas ondas não sei contar

Não há mar
Sem amor

Sem amor
Não há mar

jul, 2011

quinta-feira, junho 30, 2011

domingo, junho 26, 2011

Meu Interior Festivo



Festas de junho n'alma
Já em tempo...

Rio a toa sozinho
Quando no meu peito
Arde a chama
E o coração
Pula diferente

jun, 2011

sábado, junho 18, 2011

sexta-feira, junho 17, 2011

Compensações


Foto: Lala Saatkamp / Arte: Graldo Soares

Perdi amores
Ganhei o mundo
Comecei a fumar
Emagreci
Aprendi a beber
Arrumei o armário
Despedi-me do meu pai
Reencontrei meu irmão


Se tudo um dia chega
Chega porque (foi) parte

jun, 2011





quinta-feira, junho 16, 2011

Fallinlove


Estrelas cadentes
Folhas no outono
Águas de março
Amar fácil

Exposta a alma
O corpo cai
Liberto do medo
O coração vai

jun, 2011

domingo, maio 22, 2011

quarta-feira, maio 18, 2011

O destino das coisas pensadas

Vislumbro ao longe
Um porvir incerto
Suposto que seja perto

Já tenho barco - minha ânsia
Sonhei maralto e compasso
Se esperar é distância
O começo é um passo

mai, 2011

sexta-feira, abril 29, 2011

Grandeza

Foto: Geraldo Soares


Lagos são mares pequenos
Cujas ondas merecem atenção

Ser grande
É ser inteiro

E o menor dos lagos
Pode conter montanhas

Abr, 2011

Descobrimento

O menino que sonha ser as ondas 
Surpreende-se com tantos litorais
Tantas descobertas
Entre tantos
Tantas milhas
Quantas ilhas, meu deus! 
Quantas ilhas? 
O que quero é aprender a navegar

abr, 2011



quinta-feira, abril 07, 2011

Desejo

Foto: Geraldo Soares

No meu acordo honesto com a solidão
Quis ter um poeta
Que eu fui pra mim

De abraços partidos
e corações nunca chegados
Eu desisti

Quero um além
que seja ao lado

abr, 2011

quarta-feira, abril 06, 2011

(In)precisão

foto: Geraldo Soares
Me perguntaram
Quanto tempo faz?
Há tanto tempo
Que já aprendi quanto tempo há
Há o tempo que passa
E aqueles que eu nem sei contar.

abr, 2011

quinta-feira, março 24, 2011

Felicidade

Nunca nós fomos tão felizes
temos o que queremos
E se o povo não tem pão
Que engulam ai peds
Para os bens de todos

fev, 2011



Refúgio do Pranto

















Gosto de gostar de te gostar
Aprecio  em ti
O seu mistério
O meu espanto


Mas 
Se o meu desejo nunca será
Nada além do que um canto...

fev, 2011

quarta-feira, março 02, 2011

Eu















Bem que eu quis ser
O que eu sou
E sempre fui de propósito
O meu propósito

Penso tanto
Não sou um acaso
Sou projeto.


fev, 2011

segunda-feira, janeiro 17, 2011

Alvorada

foto: Geraldo Soares

Acordei-me beijando a minha face
Como se eu fosse um outro
Abracei-me de dentro pra fora
Sem fome exceto aquela ânsia no peito


O tempo errante voava
Como ando
rinhas anunciando o fim do dia 
Mas ainda não era tarde - era quase anoitecer
Apesar da hora, havia um nascente naquele despertar

Tenho observado o caminho das horas
Que continuam a passar pelos céus como bandos
Negras, brancas, velozes...

O amanhã será entoado pelos galos
Breve como os gerânios enfileirados no jardim

Mas eu não me importo
Enquanto minha alma amanhecer.

Janeiro/2011

domingo, janeiro 09, 2011

Duas Quadras Pro Meu Bem Querer


O veludo da manhã
Cor de laranja azulado
Tinge a minha memória sã
De um amanhecer aveludado

Sonho, devaneio, loucura
Marés infinitas de desejo
Adoçadas pela doçura
Da esperança do teu beijo.

Jan, 2011

quinta-feira, janeiro 06, 2011

Poema Natural IV


Tem horas que olho pela janela
E invejo o vento...


Não é solitário

Nem coletivo
Circunda obstáculos

Faz, das curvas, retidão
Não tem lembranças 

Mas nunca esquece o caminho

jan, 2011