quarta-feira, julho 21, 2010

Pacto



As vezes sou tão ambicioso que me descubro sem posses. Neste momento sinto uma vontade irresistível de empenhar minha alma com um diabo qualquer. Mas almas não valem mais a pena. Almas são muito leves, etéreas... Quem pagaria por algo que não pode levar e que muda sempre. E essa sensação de não ter como pagar é tão frustrante como se descobrir incapaz de burlar a lei suprema que rege a queda dos corpos. Nenhum corpo caiu por aqui até agora. A lei da gravidade é pródiga, mas não tem boa pontaria.


julho, 2010

Nenhum comentário: