terça-feira, maio 04, 2010

Europa


Teus olhos opacos
Teus olhos perdidos
Por onde anda a tua vida
Que seres te habitam?

Eu que nunca te vi
Te desconheço
Eu que nunca te vi
Sei que não és real

Não importa o quando
Tão longes distâncias
Tantas histórias
Incontável o tempo
Vasto, vazio, vão

Acaso é o que te chamam
Encontro da nau à deriva
Coração sem destino
Peito repleto de perdição

Maralto - teu lar é distância

Mai, 2010

Nenhum comentário: