sábado, abril 17, 2010

Efeméride



Gosto de pensar assim. Gosto deste sonho, desta fantasia. Talvez do teu lado eu encontrasse a compreensão que eu sempre busquei no outro. E, agora que sei o que é . Merda! Sei também que a vida é assim mesmo. Nada é pra ser o que deveria ser. A vida simplesmente é e a gente toda tem que aprender a lidar com isso, com a frustração, com essa grande decepção que é esperar demais e encontrar o que é preciso, mas compreender muito depois. Tarde? Merda! A vida toda eu te esperei. Mas eis que te encontro do outro lado de um Rio, num outro abismo, repleto de pássaros, cujos nomes não sei pronunciar. Neste tempo, diriam os astrólogos, havia uma conjunção astral - minha lua enquadrada no teu sol. E como tu sorrias bonito depois que aquele astro desgovernado levou a tua presença. Mas quem poderia prever que longe tu serias assim tão presente? Só eu mesmo pensaria em sincronicidades. Só eu mesmo veria estes padrões em eventos tão aleatórios. Só eu mesmo construiria delicadamente esta teia de afetos. Tudo isto eu faria igual. Panta rei, tudo flui - não sei para onde. Panta rei, tudo flui - não é preciso saber. Nós - sim, e contra todas as expectativas filosóficas - nos banhamos na mesma água daqlele Rio. Nós mesmos reconhecemos o sabor daquele sal. Nós temos histórias tão opostas que irmãs. Assim, firmamos um acordo naquele tempo, quando caberia para muitos apenas um breve olhar. E era esse tipo de eternidade que procurávamos e não admitíamos. Na loucura que domina a nossa cabeça sã, insana é a rotina dos dias dessa gente humana. Nós sabemos o que é sonhar.
abril, 2010

Nenhum comentário: