quinta-feira, fevereiro 04, 2010

Terminal


Sou um tolo incurável
pela vida toda

Tenho
coração mole
cabeça dura
e dor nas costas

Escrevo
poemas apaixonados
cartas longuíssimas
e postais

Amo
seres imaginários
amores concretos
e artistas

Acredito
no que não vejo - quase ilusão
o azul do céu
há verdade nas formas das nuvens?

Não procuro
(mesmo se houvesse)
a cura

fevereiro, 2010

Nenhum comentário: