terça-feira, dezembro 15, 2009

De composição


Amor mor
Amora vermelha, doce e morta
Nada além das palavras, lavras, larvas
Por onde vai o teu caminhar?

Hoje o rio esqueceu dos peixes
O vento anda só, longe das nuvens
Meu caminho não tem companhia

E eu sinto
A sensação de um caracol sem casa
Lambendo as folhas perdidas das árvores
Pois nesta altura o que espero é retorno
Todo eterno passado
Embalsamado na minha saliva
Tempo gravado
Lentidão.

dezembro\2009

Nenhum comentário: