sábado, agosto 15, 2009

Alerta nas entrelinhas de toda literatura poética


Não sinta tanto assim o tudo
Não é saudável
(Esqueça)

Muito menos
Procure alento na leitura
De quem nomeou o incompreensível
O inominável...

E, o mais importante,
Não seja poeta.

agosto, 2009

3 comentários:

Flavio Moreira disse...

E porque deixaríamos e sê-lo se, no fundo, é só o que sabemos? Ainda que cegos, nossas palavras no guiam.
Obrigado pelo comentário no Andarilho.

Élvio disse...

Não ser é de uma urgência sempre moderna.

FRIZERO disse...

Ser poeta não me parece uma escolha. Tu, por exemplo, és um poeta integral.

Um abraço do teu amigo relapso.