quarta-feira, abril 01, 2009

Sem Título


Há aqueles que aprisionam pássaros
Em abismos
E sinceramente abismados 
Os ame

Desejo prmeiro
Desejo natural
É cativar

Aprende (realmente) a amar
Aquele que chora
Ao contemplar a partida.

Mas eis um dia
Que a profundeza é lar.

Abril, 2009

4 comentários:

Élvio disse...

Seu ladrão...rsrs....

Brincadeira, roubou e aperfeiçoou.

As vezes eu penso que eu deveria escrever.

FRIZERO disse...

"Os pássaros, quando morrem, caem no céu" - é o título de uma das peças mais etéreas do Madredeus, do primeiro álbum. Lembrei-me dela ao ler teus versos.

Leio sempre teus versos. Com muita atenção e carinho.

Ariane Rodrigues disse...

E com teus versos atinges o imo, estrato mais profundo e recôndito...

liana keller disse...

lar
*