quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Chances


BINÔMIO
Gostaria de voltar a ser uma criança
Não prá recuperar o que eu era
Mas para compreender quem eu sou
Para poder ser pleno
Sentindo a simplicidade dos dias
Responsável apenas por viver

E hoje me vejo homem feito
Contemplando as distâncias
Sem ser distante
Escolhendo um caminho
Numa vida que segue o próprio curso.

Sangrando...
Sofrendo...
Sorrindo...
Crescendo...
Como se tudo
Tão de repente e aos poucos
Fosse outra vez o jogo.

Tá frio...
Tá quente...
Tá morno...

Quem não me descobre,
Nunca me vê.

fevereiro, 2009

Um comentário:

Ariane Rodrigues disse...

Penso que seria ir à Pasárgada... Sinto que à medida que avançamos, também recuamos, vamos deixando atrás alguns fragmentos importantes do que acreditávamos que éramos. Tua poesia reflete uma vontade minha também de recuperar uma certa inocência e com ela a liberdade de ser! Abraço!