terça-feira, janeiro 06, 2009

Noli proicere margaritas ante porcos?


Nunca gostei deste conselho: "Não se deve jogar pérolas aos porcos..." Ele sempre me irritou. Sempre vi algo de mesquinho aí. E hoje, comecei o dia satisfeito ao ver a expressão "jogar pérolas aos porcos" corrompida na poesia do José Miguel Wisnik:

Eu jogo pérolas aos poucos ao mar
Eu quero ver as ondas se quebrar
Eu jogo pérolas pro céu
Pra quem pra você pra ninguém
Que vão cair na lama de onde vêm

Eu jogo ao fogo todo o meu sonhar
E o cego amor entrego ao deus dará
Solto nas notas da canção
Aberta a qualquer coração
Eu jogo pérolas ao céu e ao chão

Grão de areia
O sol se desfaz na concha escura
Lua cheia
O tempo se apura
Maré cheia
A doença traz a dor e a cura
E semeia
Grãos de resplendor
Na loucura

Eu jogo ao fogo todo o meu sonhar
Eu quero ver o fogo se queimar
E até no breu reconhecer
A flor que o acaso nos dá
Eu jogo pérolas ao deus dará

O Fábio me enviou pela manhã o vídeo com essa canção linda. Ela me fez pensar muito sobre a força que há em não desistir nunca de mostrar beleza para qualquer um, sem discriminação. Sempre, sempre, sempre. Lutar contra o veneno da desilusão. Ao contrário do que falam os desiludidos, sonho não é ilusão. Sonho é um projeto que se projeta muito alto. Prefiro acreditar num sonho do que numa realidade dura, estagnada que serve a um propósito perverso: manter os corações tristes e sem esperança. Esses corações são bons prisioneiros, são servis. Não questionam, não querem ser livres.

Muito já foi escrito para criticar aqueles que acreditam que construir um sonho é mais que sonhar. Se existe uma possibilidade absurdamente boa, por que ela não pode vir a ser real? Por que é tão difícil acreditar nos crédulos, nos artistas, nos poetas? Gostei da maneira que o José se apropria da expressão "jogar pérolas aos porcos" e a recria. Gosto dessas atitudes subversivas.

É muito fácil jogar pérolas para quem já aprecia as pérolas. Não há muito mérito nisso. Por outro lado, como pode ser desafiante jogar pérolas aos porcos. Quão grandioso é o coração daquele que não se apropria das pérolas, oferece a todos, inclusive aos "porcos" e acredita que eles podem (um dia) voar. 

Então, viva os educadores, os poetas, os artistas de qualquer tipo! Viva aos que doam! E mais viva ainda aos amantes apaixonados que amam, apesar de todo sofrimento e não desistem do seu amor! Que eles me inspirem sempre. Que eu sempre distribua as pérolas que eu tiver. Que eu não seja dono das minhas pérolas. E quando eu for porco - todo mundo é porco algum dia -  eu tenha alguém que lute por mim e me mostre que eu tenho asas pra voar.

Um comentário:

Natalie disse...

qué bonita reflexión :)