sábado, janeiro 17, 2009

Cavaleiro das pequenas causas


Sou um homem de afetos.
Não esperem de mim ações precisas
Sou um hoemem de afetos, apenas...
Contudo, sou um raciocinador
Se não alcanço, não amo.
Toda distância tornou-se
(para mim)
Nada mais que isto:
/Distância/
Falam-me de guerras
De ausências de afeto
O que vejo são pactos de morte
Conveniências silenciosas, distantes
Oferecem-me uniforme, espada, escudo
Oferecem-me desafios
(Inutilmente)
Não empunho bandeiras,
Há muito abandonei as armas
E hoje sou simplesmente
Um “cavaleiro” das pequenas causas.

junho, 1994

Nenhum comentário: