quarta-feira, dezembro 31, 2008

Um abismo atrai outro...


Desvendado o primeiro abismo
Sempre haverá do que se abismar

Cada pássaro
Um espanto
Uma descoberta
Um vôo

O passado não existe
O presente ainda existe
O Futuro nem existe

Tudo que há
Há além desse tempo
Que se pode medir

Pois a medida de cada pássaro
É a altura do seu vôo

dez, 2008

Um comentário:

FRIZERO disse...

Esqueceste das aves que jamais voam...

Belo texto, amigão. Abre janelas para longos vôos.

Abração,
Beto