sábado, outubro 18, 2008

Só um poema antigo


Tenho insônia há alguns anos. As vezes ela me incomoda. Mas algumas vezes, como é o caso, não. A noite é propícia ao pensamento e vou longe... As vezes eu não faço nada. Fico  Apenas acordado, sorvendo essa tranquilidade que a noite traz. 

Aproveitei esta vez para reler uns textos que escrevi há anos atrás. Textos ainda datilografados de uma fase anterior ao computador... Escrito numa noite de insônia:

Novelo

Um risco, um traço
Rabisco algo no papel / rasgo
Tento engolir o poema / engasgo
Tento fugir / não dou um passo

Sozinho nesse pesadelo
Na cabeça estranhas lembranças
Um dançarino em sua esquisita dança
Um gato desenrolando o novelo

Olho então pra lua (cheia e amarela)
Nela vejo do sol o reflexo
Escrevo algumas frases sem nexo
E jogo o papel pela janela.

abril, 1984


Nenhum comentário: